segunda-feira, 8 de maio de 2017

3ºA e 3ºB (2º Bimestre)

POSIÇÃO ANATÔMICA (texto 01)

A posição anatômica é uma convenção adotada em anatomia para descrever as posições espaciais dos órgãos, ossos e demais componentes do corpo humano. Na posição anatômica, o corpo estudado deve ficar ereto (de pé), calcanhares unidos, com os olhos voltados para o horizonte, os pés também apontados para frente e perpendiculares ao restante do corpo, braços estendidos e aplicados ao tronco e com as palmas das mãos voltadas para frente (os dedos estendidos e unidos). Deve-se notar que não é a posição normal dos braços, que normalmente ficariam em torção mais ou menos medial (com as palmas voltadas para o corpo, em pronação). É uma posição em que há consumo de energia.
O corpo humano na posição anatômica pode ser dividido conceitualmente em planos.

PLANOS ANATOMICOS


Plano Frontal (ou coronal): Formado pelos eixos transversal e longitudinal, divide o corpo em porção anterior e posterior. Movimento em torno do eixo sagital. Também denominado coronal ou Lateral. (proporciona visão anterior ou posterior da estrutura corporal).




Plano Sagital: Formado pelos eixos sagital e longitudinal, divide o corpo em porção esquerda e direita. Movimento em torno do Eixo Transversal. (proporciona visão lateral ou medial da estrutura corporal).




 Plano Transversal: Formado pelos eixos transversal e sagital, divide o corpo em porção superior e inferior. Movimento em torno do eixo Longitudinal. (proporciona visão superior ou inferior da estrutura corporal).


ANEXOS:

Crânio Plano Frontal (ou coronal): Vista anterior 

Crânio Plano Sagital: Vista medial

Crânio Plano Transversal: Vista superior

 ------------------------------------------------------------------------------------ 

(texto 02)
A RELAÇÃO ENTRE A TELEVISÃO E O VOLEIBOL NO ESTABELECIMENTO DE SUAS REGRAS 
(Fabiano Antônio dos Santos e Neusa Maria Domingues)

A televisão é uma forma de transmissão que atinge grande parte dos lares brasileiros, divulgando uma série de informações ideologicamente determinadas por seus programadores e/ou patrocinadores, que visam atingir às exigências de telespectadores e patrocinadores, além de interesses políticos e ideológicos.
Nessa adequação da programação a ser exibida, o esporte ocupa local central, por vários fatores que contribuem aos objetivos da televisão.
A mídia televisiva diversifica suas programações, objetivando adquirir sempre maior público. Para isso, cada emissora de televisão procura transformar as transmissões esportivas em atrações que beiram ao espetáculo.
Um exemplo disso é a transmissão das Olimpíadas, Copa do Mundo e recentemente o Pan Americano.
Estes eventos esportivos apresentam o confronto de culturas, com atletas de diversas nacionalidades, marcado por cores, movimentos, músicas, puro espetáculo.
A televisão destina, ao esporte, horários diversificados de transmissão, procurando atender, quase sempre, a lógica mercadológica imposta às transmissões, um grande exemplo são os jogos do campeonato Brasileiro as quartas feiras que só começam quando acaba a novela.
Se observar a qualidade dessas transmissões, você verá que a televisão tem como aspecto principal a informação já bastante simplificada, ou seja, reportagens curtas, de fácil entendimento.
Mas o que essas características têm em comum com o esporte em geral e, especificamente, com o voleibol?
Vejamos: a programação da televisão não deve ser maçante ou entediante. Deve proporcionar ao público novas emoções e sensações a todo instante. O voleibol, assim como qualquer esporte, não possui enredo pré-definido.
O jogo de interesses da mídia determinam as regras do esporte, sem que os torcedores possam opinar. Você se lembra de como eram as antigas regras do voleibol? Faça a comparação com as regras atuais, e acompanhe os reais interesses por trás das modificações.

Voleibol à moda antiga:
A principal característica do voleibol praticado antes das principais modificações de suas regras era sua dinamicidade. As partidas eram muito demoradas, o que ocasionava, ao esporte, certa dificuldade de espetacularização. As regras deste esporte modificaram-se com o passar dos anos, refletindo inclusive às necessidades televisivas.
Acompanhe abaixo algumas regras que vigoraram por muito tempo, porem atrapalhavam o interesse da televisão no voleibol.
·         O sistema de vantagens aplicado ao voleibol era o principal problema. O ponto era marcado somente quando a equipe recuperasse a vantagem e, logo em seguida, confirmasse a vantagem adquirida. Isso se tornava um grande problema, pois partidas chegavam a durar de 3 a 4 horas.
·         Outra característica é a possibilidade de tocar a bola com outras partes do corpo. Era permitido apenas o contato com partes do corpo que fossem acima da cintura.
·         O local destinado para o saque era restrito, a um espaço pré-estipulado, não sendo possível sua transposição.
·         Para a recepção da primeira bola, não era permitido o contato com as mãos separadas umas das outras, caracterizando 2 toques.
·         O saque, ao tocar a rede, era imediatamente anulado, dando a vantagem à equipe adversária.
Este conjunto de regras sofreu transformações que possibilitaram ao jogo uma maior dinamicidade e previsão temporal. Isso teve, na mídia, uma grande aliada. E como podemos perceber a mídia tem forte influencia na mudança de regras esportivas.


1 comentários:

Luis Fernando Turozi Mausson disse...

massa eim... poderiamos ter ido à UEL no museu.. mas fazer o que

Postar um comentário